Cientistas estão desenvolvendo uma “pílula do exercício”

Sabe todos aqueles benefícios que você fica listando mentalmente para se motivar a ir na academia? E se você pudesse consegui-los sem todo o esforço e transpiração envolvidos no exercício físico em si? Essa segunda opção pode parecer maluca, mas tudo indica que ela será possível em um futuro próximo.

Em um estudo recentemente publicado na Cell Metabolism, cientistas da Universidade de Sydney, na Austrália, e da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, afirmaram ter criado um diagrama das reações moleculares ao exercício físico. O objetivo dos pesquisadores é identificar as mudanças mais importantes, de forma que elas possam ser replicadas usando remédios.

Para isso, a equipe usou a espectrometria de massa, técnica a partir da qual é possível estudar mudanças nas proteínas nos músculos após a atividade física. Quatro voluntários passaram por uma biópsia antes do exercício, que consistia em pedalar uma bicicleta por dez minutos com o máximo de força possível. Após esse período, eles deram uma amostra dos músculos aos cientistas.

A produção da “pílula do exercício” em si foi bem complicada, visto que nenhum remédio pode dar mil efeitos de forma segura. Por isso, os pesquisadores estão focados em identificar quais são as principais mudanças biológicas, e a partir delas começarão a desenvolver o remédio. “Nós fomos os primeiros a criar esse mapa e agora nós sabemos a complexidade dos sinais obtidos pelo corpo por meio de exercícios físicos”, afirma o dr. Nolan Hoffman, condutor do estudo.

Os cientistas demoraram três anos para desenvolver o diagrama e estimam que demorarão pelo menos uma década para criar uma versão segura do remédio. A ideia é que o medicamento seja utilizado, principalmente, por pessoas idosas, com obesidade e doenças específicas.

Via Revista Galileu.

Deixe uma resposta!

%d blogueiros gostam disto: