Pesquisador encontra lagarto de 100 milhões de anos fossilizado em âmbar

Um colecionador de pedras preciosas doou ao Museu de História Natural de Nova York uma série de pedras âmbar. O que seria apenas parte de exposições de minério tornou-se um importante achado para a biologia.

Nas pedras doadas pelo colecionador, foram encontrados lagartixas, lagartos e camaleões fossilizados. De acordo com conclusões das pesquisas de microtomografia aplicadas pelo pesquisador Edward Stanley, da Universidade da Flórida, os animais viveram há cerca de 100 milhões de anos.

Os doze fósseis estudados foram encontrados em uma mina em Myanmar, país no sudoeste asiático. As análises feitas por Stanley provam que estes são os lagartos tropicais mais antigos já encontrados. O pesquisador ainda está tentando determinar com precisão as idades dos animais, mas é certo que todos são do período Cretáceo, entre 145,5 milhões e 65,5 milhões de anos atrás.

Pequenos detalhes sobreviveram à ação do tempo e ficaram eternizados nas pedras (FOTO: DIVULGAÇÃO)
Pequenos detalhes sobreviveram à ação do tempo e ficaram eternizados nas pedras (FOTO: DIVULGAÇÃO)

O que surpreendeu realmente o pesquisador foi o estado de conservação dos animais. “Normalmente nós encontramos uma pata ou outras pequenas partes preservadas em âmbar, mas esses eram espécimes com garras, almofadas nos dedos, dentes e escamas coloridas intactas”, conta o pesquisador.

Segundo ele, o estado de conservação serviu para confirmar algumas suspeitas biológicas históricas, como o fato de as almofadas dos dedos das lagartixas já existirem ou de os camaleões já terem a língua enrolada, apesar de terem patas e formato do corpo diferentes em relação aos animais modernos.

Nota: A imagem da capa mostra fósseis de lagartos inteiros e pedaços de animais que foram encontrados em âmbar (FOTO: DIVULGAÇÃO).

Via Revista Galileu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *